Jogadores de Futebol Portugueses que Perderam TUDO ! ūüíł (Parte 1)

Gerir uma fortuna, por vezes pode ser mais difícil do que a ganhar. Talvez por isso, alguns jogadores de futebol não conseguem aguentar financeiramente depois do adeus aos relvados.

São muitos os casos mediáticos conhecidos pelo futebol mundial, mas cá dentro em Portugal também houve e há casos desses a acontecer.

Voltamos a tirar a lupa do bolso para vos mostrar alguns dos jogadores portugueses que era MUITO RICOS e perderam absolutamente tudo por não saberem controlar o seu dinheiro. E um dos casos é mesmo surpreendente, portanto no teu caso eu ficaria até ao final para ver o que aconteceu.

Começamos com um nome bem conhecido do futebol português, Jorge Cadete.

1. Jorge Cadete

O avançado formado no Sporting que conta com uma carreira internacional em clubes como o Celtic de Glasgow e o Celta de Vigo. Além disso, foi o primeiro português a ser melhor o marcador de um campeonato estrangeiro.

Tal facto levou-o a ser eternizado em Glasgow. Ainda hoje os adeptos do Celtic esbo√ßam um sorriso quando ouvem o nome “Cadete”. Por√©m, o feroz finalizador j√° viveu tempos muito complicados ap√≥s pendurar as chuteiras.

Est√°vamos no ano de 2014 quando o ex-internacional portugu√™s se viu for√ßado a residir com os pais e a viver do rendimento m√≠nimo. Isto depois de ter ganho mais de 4 milh√Ķes de euros durante a carreira.

Jorge Cadete justificou a falência com os dois divórcios e com uma série de investimentos que se revelaram ruinosos.

Atualmente, o antigo jogador conclui uma licenciatura em treino desportivo Рe anseia por um novo desafio em termos futebolísticos. Já limpou as suas dividas com o fisco e continua a recompor a sua vida ligado aos relvados para ensinar os mais novos na sua Academia em Lisboa РA CadetesSportAcademy.

2. Daniel Kenedy

Mais um jogador que passou por grandes portugueses mas que perdeu todo o seu dinheiro!

O ex-jogador do Benfica, FC Porto e seleção nacional, perdeu milhares de euros, que representavam os seus ganhos no mundo do futebol, devido ao vício do jogo.

Agora, com 46 anos, o antigo futebolista, que ap√≥s pendurar as chuteiras enveredou pela carreira de treinador, revelou em entrevista ao jornal ‚ÄėRecord‚Äô ter come√ßado a frequentar casinos de forma l√ļdica, acabando por ficar viciado.

“Perdi quase tudo no jogo. E quando n√£o temos, recorremos a outras pessoas. A certa altura torna-se uma bola de neve. Na fase final, antes de parar, j√° ia mais ao casino para cumprir com as responsabilidades que tinha assumido com essas pessoas”, diz Kenedy em testemunho emotivo.

Tudo terá começado após o afastamento de Kenedy do Mundial 2002 (ver caixa anexa). Ficou suspenso durante um ano e separou-se. A partir daí foi uma espiral. Começou com uma brincadeira e acabou em vício. Garante ter perdido apenas dinheiro.

“N√£o era aquela pessoa que ia ao casino e deixava l√° fortunas. Durante a minha carreira tamb√©m n√£o ganhei milh√Ķes. Foi aos poucos‚Ķ E esses poucos, quase todos os dias, levaram-me √† situa√ß√£o em que me encontro atualmente.”

Kenedy não revela quanto perdeu. Mas tendo em conta o seu passado como futebolista, terão sido largos milhares de euros. Diz estar curado do vício desde há dois anos. No processo, escreveu uma carta ao casino para o proibir de jogar.

Fez terapia. Atualmente diz estar arrependido e pede ao mundo do futebol para lhe dar nova oportunidade depois do √ļltimo clube por si treinado ter sido o Cartaxo em 2018/19.

3. António Veloso

Em 2013 a família Veloso fazia capa nos jornais desportivos e revistas cor de rosa pelo atrito vivido devido às dividas do pai António. A antiga glória do Benfica além de viver com dificuldades financeiras entrou mesmo em disputa judicial com o filho para repor a sua honra como afirmou à revista caras em 2013.

Aparentemente , o capitão do Benfica durante 8 temporadas e uma das referências da Seleção Nacional durante os anos 80 e 90, usou uma procuração do filho para colocar a casa da família em nome próprio.

Isto foi o culminar de um conjunto de acontecimentos que o levaram à bancarrota. Segundo o mesmo contou ao Jornal Record, foi vitima de um golpe de 100.000 euros dado por um sócio numa empresa de publicidade.

À parte da reposição de 5.000 euros ao filho Miguel e 25.000 à irmã Raquel, o caso mediatizado em abril de 2013 não teve efeitos práticos e consolidou a separação de António Veloso da família, afetando uma vida solitária apoiada na ajuda de amigos.

4. Vítor Baptista

Mais um futebolista que perdeu tudo, até a alma na miséria.

Iniciou a carreira no Vit√≥ria de Set√ļbal em 1967, onde venceu uma Ta√ßa de Portugal. Na transfer√™ncia mais cara da altura foi para o SL Benfica. No curr√≠culo tem cinco campeonatos e uma Ta√ßa de Portugal pelos encarnados.

‚ÄúMuitas vezes comparado a George Best ‚Äď pelo perfil exc√™ntrico que se juntava √† genialidade futebol√≠stica ‚Äď, o portugu√™s acabou na pobreza: sem dinheiro e a trabalhar num cemit√©rio, depois de ter espalhado magia pelos relvados nacionais‚ÄĚ.

5. Fernando Mendes

Esta cara é vos conhecida? Sim, Fernando Mendes! O atual comentador da CMTV foi um dos laterais esquerdos mais completos que o futebol português já viu.

Formado no Sporting, campeão no Benfica, tricampeão no FC Porto. Chegou a ganhar mais de 17 mil euros por mês, em 2014 viva apenas com a ajuda do subsídio de desemprego.

Chegou a gastar 20 mil euros numas férias no Brasil. Teve um Porsche… ficou sem nada.

Graças à sua família, em especifico à sua mãe e mulher, reergueu-se e hoje tem um lugar de antena no comentários desportivo da CMTV.

E aqui fica o caso mais mediático e surpreendente, Vítor Baía.

6. Vítor Baía

Um império, mas já só tem um Smart em seu nome. Era este o destaque de uma das entrevistas que o antigo guardião do FC Porto e Barcelona deu em 2013.

Baía estava na falência, depois de se ter envolvido em negócios ruinosos que o arrastaram para uma situação financeira calamitosa!

Chegou a ser obrigado a desfazer-se da casa de família na Foz do Douro, no Porto, avaliada em um milhão de euros. Também a sua casa no Gerês e da residência de luxo no Brasil foram todas vendidas para pagar dívidas.

A esta lista, juntam-se ainda os carros topo de gama que foram também todos despachados ao desbarato. Tudo em nome de dívidas.

A situa√ß√£o mais grave registou-se no final da carreira futebol√≠stica quando foi iludido por um gestor de fortunas. Apostou forte na compra de um hotel e Spa de luxo junto √† barragem do Monte Novo, em √Čvora, mas as obras foram embargadas e o investimento de v√°rios milh√Ķes de euros n√£o teve retorno.

A falta de liquidez não lhe permitiu terminar o negócio. Só mais tarde Baía percebeu que tinha sido enganado e que o gestor se tinha aproveitado da procuração que o futebolista assinou para movimentar livremente todos os seus bens e dinheiro.

Nos anos seguintes, Ba√≠a voltou as suas aten√ß√Ķes para os estudos, conclu√≠ uma licenciatura e mestrado em gest√£o de organiza√ß√Ķes desportivas. A partir da√≠, as oportunidades come√ßaram a surgir. Primeiro na televis√£o por cabo, pela porta do canal 11 onde foi apresentador do programa “Camisola 11”, espa√ßo destinado √†s lembran√ßas e hist√≥rias do futebol portugu√™s.

No dia 6 de Junho de 2020 ap√≥s a reelei√ß√£o de Pinto da Costa para o 15¬į mandato como presidente do FC Porto, Ba√≠a passou assim a desempenhar o cargo de Vice-presidente do clube.